Author Archives: brunoamorimdomingues

Cá está o CDSC 2018/19

Hoje arrancou a época 2018/19 em termos de trabalho da equipa principal. Estes dois primeiros dias serão de exames médicos mas no sábado o futebol regressa ao Estádio de S. Miguel com um treino à porta aberta pelas 10 horas da manhã.

Esta será a primeira oportunidade para ver de perto os novos reforços e o restante plantel que transita da época passada.

Mas acima de tudo será o primeiro contato com o mister João Henriques e com o seu modelo de jogo para este CDSC no ataque à permanência na Liga NOS.

Nos últimos dias falou-se de muitos jogadores mas até ao momento só Ousmane Sountora foi confirmado como reforço do CDSC.

 

Vamos aguardar por mais novidades nos próximos de maneira a fechar o plantel rapidamente.

 

Anúncios

Eles falam, falam, mas não dizem nada!!!!

João Raposo | CDSC

Que grandíssima não resposta. Em entrevista ao Açoriano Oriental, em moldes pouco usuais, o Sec. Reg. da Edu. e Cul. dá uma grande volta às questões e não responde a nada.

Ou seja no próximo sábado o CDSC poderá ter o Estádio inapto para receber jogos da Liga NOS. Já se passou um mês e meio desde a subida do CDSC e nada foi feito. E já se percebeu que a vontade também é pouca. Enfim como dizia o outro:

 

36274743_10156511248233139_7636054546338283520_n

Novidades, novidade e mais novidades

Nos últimos dias muitas foram as novidades do CDSC para a época 2018/19. Pré-Época já está agendada, já temos jogos de preparação marcados e temos mais um reforço.

O CDSC vai começar a sua época no dia 28 de Junho. Os dois primeiros dias serão dedicados aos testes médicos da praxe e o primeiro treino está marcado para sábado dia 30 de Junho. Hora e local ainda não está confirmada mas certamente que não será além das 10 horas e no triângulo Estádio, Laranjeiras e Lajedo.

Depois o primeiro jogo de preparação será na Covilhã frente ao Sporting local no dia 14 de Julho. A hora ainda está por confirmar.

Depois a equipa segue para 8 dias de trabalho em Penafiel onde irá realizar mais 5 jogos de preparação.

Dia 15 – Penafiel

Dia 17 – Arouca

Dia 18 – Leixões

Dia 21 – Braga

Dia 22 – Guimarães

Hora e local a confirmar para todos os jogos.

 

Também foi apresentado o novo reforço do CDSC. Mamadu Candé é defesa esquerdo e vem do Omonia do Chipre.

O jogador guineense é internacional pelo seu país e em Portugal já jogou pelo 1º Dezembro, Futebol Benfica, Desp. Aves, Portimonense e Tondela. No estrangeiro esteve também no Videoton da Hungria. Boa sorte Candé.

Finalmente muita gente retira a ilação que a contração de dois laterais esquerdos significa a saída do João Reis. Poderá ser verdade, mas o certo é que o João Reis também poderá ser usado como extremo. A ver vamos o que o futuro dirá. A sair que tenha muito sucesso na sua carreira menos contra o CDSC.

Um rumor, que não passa disso mesmo, é a contração do guarda-redes do Caldas, Luís Paulo. Na constituição do plantel para 2018/19 no zerozero.pt e do transfermarkt.pt está o guarda-redes caldense.

Numa entrevista ao Record o Presidente Rui Cordeiro afirma que a constituição do plantel está mais atrasada esta época pela necessidade de aguardar pelas possíveis cedências que poderão ocorrer dos três grandes. Chamo a atenção para que essas cedências não sejam alvo de impedimentos na utilização dos jogadores frente às equipas que provenientes. Será difícil esse acordo, mas em benefício do futebol espero que assim seja.

Certamente que nos próximos dias teremos mais novidades.

 

Os Bois pelos nomes, capítulo final

@João Raposo | CDSC

Pois é… depois de tanto barulho feito pelo União da Madeira, pela Académica, Varzim e na reta da meta pelo Ac. Viseu… aconteceu aquilo que sempre se disse que iria acontecer.

O CDSC cometeu uma infração aos regulamentos? Cometeu. Deve ser punido por isso? Claro. Essa punição seria a perder de pontos? Nunca.

Numa análise simples aos regulamentos facilmente se compreendia que só podia existir uma multa para a punição da infração do CDSC relativamente à não inscrição de 4 jogadores sub-23 na ficha de jogo frente ao União da Madeira.

Mas vamos ser sinceros o CDSC não teria que jogar com esses jogadores sub-23. Por isso desportivamente onde está o favorecimento? Como aconteceu em outros jogos tantos jogos ao longo do campeonato. Podem estar no banco mas não é obrigatório jogarem.

Toda esta questão só revela o azedume que vai nas hostes do futebol nacional pela subida de uma equipa dos Açores à 1ª Liga. Não consigo ter outra explicação para tanto chulé feito por esses clubes, que merecem o maior respeito, mas que neste momento são dirigidos por um batalhão de cepos acéfalos.

E agora? Que mais vão querer inventar? Se fosse outra equipa do continente teriam essa postura? Já se deram ao trabalho de analisar o desempenho das outras equipas nesse capítulo? Se calhar existem mais esqueletos escondidos no armário.

Tenham juízo e joguem à bola.

 

 

É investimento, não é despesa

Nos últimos dias foram várias as notícias sobre as obras de melhoramentos que o Estádio de S. Miguel necessita. Percebe-se que ainda não arrancaram e que não existe uma data prevista para arrancarem. Pelo menos nada é referido ontem na notícia do Açoriano Oriental.

Sabe-se que a capacidade do Estádio de S. Miguel será sempre de 4 mil lugares e que poderá ser aumentada em certos jogos.

Hoje mesmo novamente no Açoriano Oriental o Presidente Rui Cordeiro refere que o investimento a realizar no Estádio de S. Miguel é curto.

Para mim isso é um claro tiro no pé visto que se temos capacidade para quase 11 mil lugares teríamos de aproveitar ao máximo essa lotação mesmo que na maioria dos jogos o Estádio não esteja a 50% da sua capacidade máxima.

Penso que estão a colocar a fasquia demasiado baixa porque como todos sabemos o Estado recebe IVA de todos os bilhetes vendidos. Se na época passada tivemos perto de 40 mil espectadores no Estádio de S. Miguel este ano certamente teremos muitos mais.

Mas vamos colocar o cenário de serem os mesmos 40 mil: este ano as pessoas irão pagar entrada; mesmo que seja um preço simbólico em alguns jogos e especialmente nos jogos com os grandes o preço será naturalmente superior. A Liga recomenda que o preço máximo seja por volta dos 30 euros. Ora 4 mil pessoas a 30 euros + IVA… dá 35,40. 5 euros e 40 cêntimos para o Estado.

Numa conta de merceeiro se forem vendidos todos os 4 mil bilhetes dos jogos com os grandes a 35,4 euros, com 5,40 euros a reverter para o Estado, são 64 800 mil euros de IVA.

Metade dos 150 mil euros previstos já foram recuperados e só estamos a falar de 3 jogos dos 17 que o CDSC vai realizar em casa. Já para não falar da Taça da Liga e da Taça de Portugal. Já para não falar das equipas que vêm jogar, dos adeptos que trazem consigo etc etc etc. E também das receitas televisivas que são taxas na Região… quantos milhões em impostos isso não gera?

Por isso quando vejo essas notícias fico na dúvida se as pessoas realmente sabem o que estão a fazer nos cargos onde estão. Na época passada tivemos um episódio que foi revelador da falta de visão com a questão das aulas ao mesmo tempo que os treinos do CDSC. Agora vamos gastar nas obras mas pouquinho e não se sabe quando.

O Estádio de S. Miguel é um património da Região todo o investimento lá feito beneficia a Região e o Santa Clara faz parte dessa Região.

 

 

João Henriques na cadeira de sonho

O CDSC apresentou hoje o novo técnico da sua equipa principal de futebol. Depois de vários convites públicos a outros treinadores a escolha recaiu sobre João Henriques.

O técnico de 45 anos natural de Tomar assinou contrato com a duração de uma temporada (segundo o Record) e tem como primeiro objetivo garantir a manutenção do CDSC na Liga NOS.

Apesar de só na última época ter chegado à Primeira Divisão Nacional como técnico Principal, o seu percurso já é longo principalmente nas equipas do CPP.

Conta também no seu currículo com uma passagem pela Arábia Saudita no Al-Ahli Jeddah e nos Emirados pelo Al Wahda.

Na última época começou como adjunto de Kennedy no Leixões e após um arranque menos bom da equipa de Matosinhos assumiu o lugar de técnico principal a partir da sexta jornada.

O bom trabalho realizado no Leixões despertou atenções na Liga NOS e em Janeiro foi para o Paços de Ferreira com o objetivo de garantir a manutenção.

Infelizmente não o conseguiu mas também diga-se que não tinha muita matéria prima para trabalhar.

Resta desejar boa sorte e muito sucesso para esta época e estamos curiosos para saber quem o irá ajudar no comando técnico do CDSC.

 

O adeus a Carlos Pinto.

O Homem que comandou a equipa vai deixar o CDSC. É um momento de tristeza? Certamente não será. Pior seria se não tivesse alcançado o objectivo proposto. Ficará a saudade mas seguramente o sentimento de dever cumprido será bem maior.

Bem sabemos que o seu “bom humor” deixa marcas… Carlos Pinto é um treinador à moda antiga com ideias novas. O seu futebol foi de muita luta tática e de muito crer por parte dos jogadores. Mas o maior elogio que posso fazer a Carlos Pinto foi a capacidade de se reinventar na adversidade.

Em dezembro/janeiro muitos pediam a sua cabeça, e eu fui um deles, por acreditarmos que o rumo que a equipa levava não era o melhor, e os resultados não eram nada animadores. Mas ninguém cedeu à pressão frívola do momento e acreditaram e seguraram o barco que chegou a bom porto.

Resta agradecer o trabalho feito ao longo destes quase 3 anos a toda a equipa técnica que participou nesta grande empreitada que foi levar o CDSC à Liga NOS.

Muito sucesso para a vossas carreiras excepto quando jogarem contra nós.

 

 

« Entradas Mais Antigas