Monthly Archives: Junho 2018

Minhoca, o mágico

Hoje analisamos o desempenho do mágico Minhoca ao serviço do CDSC na época 2017/18.

Foram 33 jogos realizados e três golos marcados num total de 2290 minutos jogados. Foram mostrados 4 cartões amarelos e um vermelho a Minhoca.

Foi suplente não utilizado em uma partida.

Golo frente ao Sporting B numa vitória por 4-0:

Na época 2018/19 Minhoca fará parte do plantel do CDSC.

 

Anúncios

João Lucas, mais um reforço

João Lucas é lateral esquerdo e tem 22 anos. Vem do Leixões onde já foi treinado pelo mister João Henriques.

Fez a sua formação no Sporting, Corroios, Belenenses e Benfica. Como sénior jogou no Benfica de Castelo Branco e no Leixões.

 

Nas suas primeiras declarações como jogador do CDSC afirma que

“Irei trabalhar ainda mais para estar à altura do desafio”

 

O Carrega deseja o maior sucesso ao João Lucas.

Bruno Lamas é reforço

O CDSC anunciou ontem a chegada do primeiro reforço para atacar a 1ª Liga.

Bruno Lamas vem do Leixões a custo zero mas com o clube de Matosinhos a deter 20% do seu passe numa futura venda.

O jogador brasileiro joga com o número 9 nas costas mas é mais um 8 ou um 10 dentro de campo.

 

Esteve 4 épocas no Leixões com um registo de 148 jogos e 27 golos marcados.

Na sua mensagem dirigida ao clube refere que “está feliz” por concretizar “mais um objetivo que era de chegar à Primeira Liga”.

 

O Carrega deseja o maior sucesso a Bruno Lamas.

João Reis, “La Maquina”

Hoje analisamos o desempenho do polivalente João Reis ao serviço do CDSC na época 2017/18.

Com 42 jogos realizados conta com 3596 minutos jogados. Marcou 3 golos, e que golo foi aquele em Famalicão, e levou cinco cartões amarelos.

Foi suplente não utilizado em uma partida.

João Reis está à duas épocas no CDSC e conta com 87 jogos realizados e 6 golos marcados.

 

É investimento, não é despesa

Nos últimos dias foram várias as notícias sobre as obras de melhoramentos que o Estádio de S. Miguel necessita. Percebe-se que ainda não arrancaram e que não existe uma data prevista para arrancarem. Pelo menos nada é referido ontem na notícia do Açoriano Oriental.

Sabe-se que a capacidade do Estádio de S. Miguel será sempre de 4 mil lugares e que poderá ser aumentada em certos jogos.

Hoje mesmo novamente no Açoriano Oriental o Presidente Rui Cordeiro refere que o investimento a realizar no Estádio de S. Miguel é curto.

Para mim isso é um claro tiro no pé visto que se temos capacidade para quase 11 mil lugares teríamos de aproveitar ao máximo essa lotação mesmo que na maioria dos jogos o Estádio não esteja a 50% da sua capacidade máxima.

Penso que estão a colocar a fasquia demasiado baixa porque como todos sabemos o Estado recebe IVA de todos os bilhetes vendidos. Se na época passada tivemos perto de 40 mil espectadores no Estádio de S. Miguel este ano certamente teremos muitos mais.

Mas vamos colocar o cenário de serem os mesmos 40 mil: este ano as pessoas irão pagar entrada; mesmo que seja um preço simbólico em alguns jogos e especialmente nos jogos com os grandes o preço será naturalmente superior. A Liga recomenda que o preço máximo seja por volta dos 30 euros. Ora 4 mil pessoas a 30 euros + IVA… dá 35,40. 5 euros e 40 cêntimos para o Estado.

Numa conta de merceeiro se forem vendidos todos os 4 mil bilhetes dos jogos com os grandes a 35,4 euros, com 5,40 euros a reverter para o Estado, são 64 800 mil euros de IVA.

Metade dos 150 mil euros previstos já foram recuperados e só estamos a falar de 3 jogos dos 17 que o CDSC vai realizar em casa. Já para não falar da Taça da Liga e da Taça de Portugal. Já para não falar das equipas que vêm jogar, dos adeptos que trazem consigo etc etc etc. E também das receitas televisivas que são taxas na Região… quantos milhões em impostos isso não gera?

Por isso quando vejo essas notícias fico na dúvida se as pessoas realmente sabem o que estão a fazer nos cargos onde estão. Na época passada tivemos um episódio que foi revelador da falta de visão com a questão das aulas ao mesmo tempo que os treinos do CDSC. Agora vamos gastar nas obras mas pouquinho e não se sabe quando.

O Estádio de S. Miguel é um património da Região todo o investimento lá feito beneficia a Região e o Santa Clara faz parte dessa Região.

 

 

Pacheco, o capitão

Hoje analisamos o desempenho do capitão Pacheco na época 2017/18 ao serviço do CDSC.

Com 34 jogos realizados totalizou 2769 minutos jogados. Marcou 2 golos e levou 9 cartões amarelos. Foi ainda suplente não utilizado em duas partidas.

Na memória fica aquele golo contra a Académica, em Coimbra, que deu uma importantíssima vitória ao CDSC.

Já são 11 épocas como sénior do CDSC num total de 347 jogos com 21 golos marcados. Pacheco também será jogador do CDSC na época 2018/19.

« Entradas Mais Antigas Recent Entries »